sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Temporada 2009 | Dezembro

UMA HISTÓRIA DE NATAL

20 de Dezembro de 2009 às 17H00
Palácio dos Aciprestes

A. Corelli - Concerto di Natale
G. Torelli - Concerto di Natale
Fr. Manfredini - Sinfonia Pastorale per Il Santissimo Natale
G. Valentini - Sinfonia atre per Il Santissimo Natal

Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Temporada 2009 | Dezembro

ORATÓRIA DE NATAL

18 de Dezembro de 2009 às 21h30
Igreja da Cartuxa

19 de Dezembro de 2009 às 21h00
Igreja dos Salesianos do Estoril

Descrição
J.S. Bach - Concerto para oboé e orquestra em sol menor BWV 1056
J.S. Bach - Oratória de Natal BWV 248

Maestro Ricardo Averbach
Coro do Instituto Gregoriano de Lisboa
Armando Possante: Maestro do coro
Elsa Cortez - Sorano
Maria Luísa Tavares - Mezzo-Soprano
Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras
Filipe Freitas - oboé

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Temporada 2009 | Dezembro

PRÉMIO LOPES-GRAÇA DE COMPOSIÇÃO

17 de Dezembro de 2009 às 18h30
M. M. Portuguesa - Casa Verdades Faria


F.Lopes-Graça Obra premiada
Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras

sábado, 12 de dezembro de 2009

Temporada 2009 | Dezembro

UMA HISTÓRIA DE NATAL

13 de Dezembro de 2009 às 11h00
Auditório Municipal Maestro César Batalha


CONCERTO DIDÁCTICO para PAIS e FILHOS
Direcção Artística e Comentários: Maestro Nikolay Lalov
Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras.

Temporada 2009 | Dezembro

CANTABILE


12 de Dezembro de 2009 às 18h00
Museu da Musica Portuguesa


Lilia Donkova - violino
Ian Mikirtoumov - piano










Novo CD CANTABILE

Lilia Donkova apresenta neste concerto CANTABILE algumas das mais belas melodias tocadas pelo seu violino com inesquecível charme e beleza. Todo o repertório transmite grande prazer e fortes emoções e é uma demonstração de como se pode explorar a infinita capacidade do violino a cantar.

Obras de Fr.Vercini, P.I.Tchaikovski, H.Wieniawski, N.Paganini, R. Schumann, Cl.Debussi, L.Barbosa, G.Zlatev-Tcherkin, A.Piazzola e J.Williams.



Fonte: http://www.occo.pt/

http://liliadonkova.com

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Temporada 2009 | Dezembro

VIOLONCELISSIMI
Ao contrário do que habitualmente acontece, o recital de hoje contará, apenas, com a presença do instrumento mais grave da família do violino, o violoncelo. Este fabuloso instrumento é, inúmeras vezes, associado ao brilhantismo e à elegância de um cisne, muito por consequência da obra de Saint-Säens. A sua origem data do século XVI, como membro das viole da braccio, e aparece com a designação de violino baixo com três cordas. Mais tarde é-lhe acrescentada a quarta corda, completando a sequência de quintas do violino. O tamanho do violoncelo modificou-se consideravelmente durante os séculos XVI e XVII, sendo fixado em 1710 por Antonio Stradivari. Este instrumento era tocado entre os joelhos até surgir o espigão no século XVIII, que lhe conferiu mais segurança e ressonância.Durante a época barroca, o violoncelo foi, progressivamente, deixando de ter apenas papel de baixo contínuo com a ascensão de grandes virtuosos. Entre eles, destaca-se Luigi Boccherini. Boccherini nasceu em 1743 em Itália, filho de um contrabaixista, tornando-se, mais tarde, um famoso compositor. Virtuoso do violoncelo desde tenra idade, estuda em Roma com Giovanni Battista Constanzi (director musical da Basílica de São Pedro) e participa em tournés com o violinista Manfredi, com bastante sucesso em Paris e Espanha. A partir de 1757 começa a participar na orquestra do Teatro Imperial de Viena. Mais tarde, e com o patrocínio do irmão do rei de Espanha, vai trabalhar para a corte de Madrid. Nesta época desenvolve uma actividade musical muito intensa. Boccherini escreveu um Stabat Mater, uma ópera, La Clementina, um Concerto para violoncelo em ré maior, sonatas para violoncelo, e sobretudo 120 quintetos para cordas, além de 100 quartetos para cordas, 60 trios, 20 sinfonias, 21 sonatas para violino, uma cantata de Natal, uma missa, o famoso Quinteto para cordas em mi maior, entre outros. Johann Sebastian Bach representa um grande marco na escrita para violoncelo, uma vez que compõe seis suites para violoncelo solo. Nestas obras, o instrumento é colocado à prova, tanto na sua vertente melódica como nas possibilidades harmónicas de que dispõe. Mais tarde, no período Clássico, Joseph Haydn compõe concertos para violoncelo e Beethoven apresenta um triplo concerto com violino e piano. Este último compõe ainda as sonatas com piano, seguidas por Mendelssohn, Brahms, entre outros. Como obras de referência do Romantismo, surgem os concertos de Schumann, Dvorak e Elgar. Já no século XX Prokofiev, Shostakovich e Britten compuseram concertos para violoncelo. Reger e Kodály retomam o trabalho solístico iniciado por J. S. Bach. Sendo o instrumento com a maior extensão da família das cordas, abrangendo um grande registo de alturas, temos a oportunidade, actualmente, de contar com diversos ensembles de violoncelos. Estes agrupamentos apresentam, em concerto, arranjos de obras de referencia para quarteto ou sexteto de violoncelos.No recital de hoje, ouviremos obras de vários compositores, de diferentes épocas e estilos no timbre único deste instrumento dividido em 4 vozes diferentes.


Fonte: www.occo.pt

11 de Dezembro de 2009 às 21h30
Capela do Palácio Marquês de Pombal

Obras de L. Boccherini, E. Grieg, G. Werner, entre outros.
Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Temporada 2009 | Dezembro

HOMENAGEM A MENDELSSOHN E MARTINU

Todos os anos, todos os concertos são ocasiões especiais para se celebrarem os criadores musicais. Mas 2009 é um ano de diversos aniversários simbólicos na música. Além dos 200 anos da morte de Haydn, dos 250 anos da morte de Händel, dos 350 anos do nascimento de Henry Purcell, celebram-se, ainda, os 200 anos do nascimento de Félix Mendelssohn e o cinquentenário da morte de Bohuslav Martinu. O século XX foi, indubitavelmente, o século de grandes e diversas estéticas, estilos, filosofias e escolas de composição. O compositor não se dissocia do homem e os percursos de vida reflectem-se na música que escreve. Neste concerto, faremos uma viagem pela história da música de câmara, centrando-nos em duas épocas, estilos e pensamentos diferentes. Se por um lado contamos com as melodias inigualáveis do puro romantismo de Mendelssohn, por outro entraremos numa sonoridade eclética que mistura o folclore checo com o jazz e a estrutura do concerto grosso barroco.

Fonte: www.occo.pt


5 de Dezembro de 2009 às 18h00
Auditório Municipal Ruy de Carvalho

B. Martinu (50 anos da morte)- Sexteto de cordas H224
F. Mendelssohn (200 anos do nascimento) - Octeto op.20
Maestro Nikolay Lalov Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras.


6 de Dezembro de 2009 às 18h30
Centro Cultural de Cascais - Auditório

Obras de B. Martinu e F. Mendelssohn
Maestro Nikolay Lalov Orquestra de Cascais e Oeiras

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Temporada 2009 | Novembro

27 de Novembro de 2009 às 21h30
Capela do Senhor Jesus dos Navegantes

GUITARRA PORTUGUESA
Obras de C. Paredes, A. Eustaquio e outros

Solistas da Orquestra de Cascais e Oeiras.
Antonio Eustaquio - guitarra portuguesa

"Já me tem sucedido fazer as pessoas chorar enquanto eu toco...E eu não compreendia isto. Mas depois percebi que é a sonoridade da guitarra, mais do que a música que se toca ou como se toca, que emociona as pessoas."
Carlos Paredes

A sonoridade única deste instrumento nacional emociona, com certeza, quem o escuta e tem a capacidade de elevar, ao máximo o sentimento Lusitano, a forma de se ser e viver em português. A guitarra, associada que está ao fado, teve a sua origem na cítula da Idade Média, evoluindo para a cítara e, mais tarde, designada de guitarra mourisca (influência árabe) antes de se fixar como guitarra portuguesa. Inicialmente, este instrumento associou-se aos salões da alta burguesia. O que perdurou foi, no entanto, o carinho e a prática do povo que o transformou num instrumento tradicional. Dividem-se em três tipos de guitarra portuguesa. A de Lisboa, a do Porto e a de Coimbra, com diferentes características. A de Lisboa é a mais pequena das três, com caixa baixa arredondada e é a que possui o som mais "brilhante". A de Coimbra é maior, com o corpo assumindo uma forma mais aguçada.

O Ensemble Atlântico é um conjunto da Orquestra de Câmara Cascais e Oeiras, criado com o objectivo de apresentar uma nova sonoridade através de um cruzamento de estilos e mistura de timbres. A prioridade do conjunto, na escolha de repertório, é levar ao palco "clássico" as outras músicas e os seus interpretes. Esta simbiose abre as portas para uma nova linguagem oferece ao público uma viagem a outros mundos. Por outro lado, a colaboração e o intercâmbio de ideais com novos artistas e a sua arte, possibilita uma evolução artística dos seus interpretes.Neste concerto, os músicos da OCCO acompanham o mais famoso instrumento português, a guitarra portuguesa, cuja sonoridade especifica enche o conjunto com brilho, mas também com a típica melancolia do fado.



29 de Novembro de 2009 às 17h00
Conservatório de Música de Cascais


UMA, DUAS, TRÊS GUITARRAS...

Peças para vários instrumentos com acompanhamento de guitarras e para ensemble de guitarras..

Conjunto de guitarristas do Conservatório de Música de Cascais
Quarteto de Guitarras Zyryab


Formado em Setembro de 1999, por então alunos colegas da Escola de Música de Linda-a-Velha, o quarteto de guitarras Zyryab logo assumiu uma série de objectivos claros. Aproveitando a estreita ligação do seu instrumento à música popular, o quarteto debruçou-se durante algum tempo sobre temas de inspiração popular latina, de origem sul-americana e ibérica, assim como obras de música erudita. Tocou durante cerca de dois anos em variadíssimas circunstâncias, de onde se destacam actuações dadas em diversas autarquias com o apoio do IPAE, algumas vezes no CCB bar terraço das 7 às 9, em programas de rádio da Antena 1 e TSF, em diversas colaborações com a Câmara Municipal de Oeiras, etc.
De momento o quarteto dedica-se à interpretação de repertório português, tentando alargar o repertório nacional para este tipo de formação através não só de transcrições mas também e sobretudo solicitando a cooperação de compositores actuais, desde jovens compositores a compositores mais experientes das mais variadas áreas musicais. Sérgio Leandro, Kami (Carlos Miguel Marques), Gonçalo Lourenço, Pedro Louzeiro, Rui Luís Pereira (Dudas) e Marco Oppedisano (E.U.A) são alguns dos compositores que dedicaram obras ao Quarteto Zyryab. O quarteto tem também vindo a colaborar com as cantoras Joana Manuel e Inês Madeira e com os coros Dezstacatto, Odysseia e Públia Hortênsia.

Fonte: www.occo.pt

sábado, 21 de novembro de 2009

Temporada 2009 | Novembro

22 de Novembro de 2009 às 11h00
Auditório Municipal Maestro César Batalha


A GRANDE FAMÍLIA DA PERCUSSÃO

CONCERTO DIDÁCTICO para PAIS e FILHOS
Direcção Artística e Comentários: Maestro Nikolay Lalov
Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Temporada 2009 | Novembro

14 de Novembro de 2009 às 18h00
Museu da Musica Portuguesa

15 de Novembro de 2009 às 17:00
Palácio dos Aciprestes


HOMENAGEM A PURCELL E HÄNDEL

H. Purcell (350 anos do nascimento) - "If music be the food of love"
H. Purcell (350 anos do nascimento) - "Sweeter than roses"
G. Fr. Händel (250 anos da sua morte) - "Cantata mi palpita il cor" HWV 132b

Sandra Medeiros - soprano
Solistas da Orquestra de Cascais e Oeiras


Em 2009, assinalam-se diversos aniversários simbólicos na música. Celebram-se os 200 anos da morte de Haydn e os 250 anos da morte de Haendel, assim como os 350 anos do nascimento de Henry Purcell. Ao longo de toda a temporada, a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras prestou a sua homenagem a estes compositores, elevando a sua obra. Neste concerto, em particular, assinalamos duas figuras marcantes do Barroco - época em que se consolida o tonalismo, sistema que regerá toda a música durante séculos até à emancipação da dissonância nos primeiros anos do século XX, e onde se definem diversos géneros musicais como a ópera, o concerto solista, ou a suite.

Fonte: www.occo.pt

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Temporada 2009 | Novembro

7 de Novembro de 2009 às 18h00
Auditório Municipal Ruy de Carvalho

8 de Novembro de 2009 às 18h30
Centro Cultural de Cascais - Auditório

Fr. Gulda - Quarteto para cordas em Fá sustenido Maior
Leo Brower - "Seven Songs after the Beatles, Yesterday to Penny Lane"
Karl Jenkins - "Palladio" para orquestra de cordas

Maestro Nikolay Lalov Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras
Eudoro Grade - guitarra

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Maestro Nikolay Lalov - Profissional do Ano pelo Rottery Clube

No dia 27 de Outubro a Rottery Clube de Cascais e Estoril, distinguiu o Director Artístico da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, como profissional do Ano.

Desta forma, foi reconhecido o trabalho desenvolvido pelo Maestro Nikolay Lalov na criação da primeira escola oficial de música do Concelho de Cascais - o Conservatório de Música de Cascais - e pela sua actividade em prol da música e cultura.


Fonte: http://www.occo.pt/

Colaboração com o Concurso Internacional Pablo Sarasate

A Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras iniciou uma colaboração com o Concurso Internacional de Violino Pablo Sarasate, em Pamplona - Espanha.
Foi acordado entre as duas instituições, que os vencedores do respectivo concurso, irão participar como solistas na Temporada da Orquestra.

Este intercâmbio abrange também a apresentação de solistas e agrupamentos da OCCO nos eventos organizados pela Fundação organizadora do concurso.


Para mais informações sobre o concurso consultar o endereço:
www.cfnavarra.es/sarasate/







Fonte: http://www.occo.pt/

sábado, 31 de outubro de 2009

Temporada 2009 | Outubro

31 de Outubro de 2009 às 21h30
Sociedade de Instrução Musical de Porto Salvo


MINIATURA MUSICAL

Obras de J. Strauss, Dm. Schostakovich, F. Veracini, F. Kreisler e A. Piazzola.

Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Temporada 2009 | Outubro

18 de Outubro de 2009 às 17h00
Palácio dos Acipreste


JOGOS DE FANTASIA
W. A. Mozart - Trio para piano, clarinete e viola K498 em Mi bemol Maior "Das Bolas"
R. Schumann - Trio para clarinete, viola e piano Op. 132 "Histórias de contos de fadas"

Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras
Olesya Kyba - piano

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Temporada 2009 | Outubro

10 de Outubro de 2009 às 18h00
M. M. Portuguesa - Casa Verdades Faria

VIOLONCELISSIMI
Obras de L. Boccherini, E. Grieg, G. Werner, entre outros.

Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras


10 de Outubro de 2009 às 21h30
Fábrica da Pólvora de Barcarena

SERÃO MUSICAL
G. Fr. Händel - Concerto Grosso Op. 6 N.º 1 em Sol Maior
A. Vivaldi - Concerto em Lá Maior para cordas
F. Mendelssohn - Sinfonia I
A. Piazzola - Verano Porteño

Maestro Nikolay Lalov
Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras


11 de Outubro de 2009 às 11h00
Auditório Municipal Maestro César Batalha

A BELEZA DOS METAIS
CONCERTO DIDÁCTICO para PAIS e FILHOS
Direcção Artística e Comentários: Maestro Nikolay Lalov
Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

20 Jovens compositores 20 encomendas PJM



















20 Jovens compositores 20 encomendas PJM.
Peças compostas para as 21ª, 22ª e 23ª edições do Prémio Jovens Músicos .

Lançamento no dia 1 de Outubro, na entrega dos Prémios PJM de 2009, no Teatro Municipal de Faro.



http://premiojovensmusicos.blogspot.com/2009/09/solos.html

Temporada 2009 | Outubro

1 de Outubro de 2009 às 18h00
Auditório Municipal Ruy de Carvalho

Fr. Gulda - "Wings" para violino, percussão, guitarra baixo e cordas
Leo Brower - "Seven Songs after the Beatles, Yesterday to Penny Lane"
Karl Jenkins - "Palladio" para orquestra de cordas

Maestro Nikolay Lalov
Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras

Eudoro Grade - guitarra


1 de Outubro às 21h30
Teatro Municipal Amélia Rey Colaço

DIA MUNDIAL DE MÚSICA

Obras de W. A. Mozart, G. Fr. Händel, J. Haydn, O. Riding, entre outros.

Com a participação de professores e alunos do Conservatório de Músicade Cascais.
Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras.



3 de Outubro de 2009 às 18h00
Auditório Municipal Ruy de Carvalho


4 de Outubro de 2009 às 18h30
Centro Cultural de Cascais - Auditório

A. Piazzola - "Melodia" em Lá menor
W. A. Mozart - Concerto para violino e orquestra N.º 3 em Sol Maior K216
B. Bartók - Divertimento para cordas

Maestro Nikolay Lalov
Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras
Christoph Sybold - violino

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Amigos da Orquestra e do Conservatório

Desde a sua criação em 2000, a Orquestra de Camara de Cascais e Oeiras tem vindo a desenvolver uma intensa actividade artística e pedagógica, tornando-se, em pouco tempo, uma referência na área da música e da educação nos Concelhos de Cascais e de Oeiras, tal como em todo o país.Com mais de 120 espectáculos por ano, a OCCO criou uma forte ligação com a população e está a transformar a sua Sede e o Conservatório de Música de Cascais num verdadeiro polo cultural a nível nacional.

Para desenvolver uma directa ligação com o seu público e apoiantes, a OCCO criou um CLUBE DE AMIGOS, cujo objectivo é reforçar as formas de promoção da sua actividade e as formas de apoio por parte das entidades públicas e privadas e de pessoas individuais.

A adesão ao CLUBE DOS AMIGOS permitirá a todos uma informação periódica sobre as actividades e os projectos a desenvolver, mas também o envio de sugestões e comentários por parte dos mesmos, cuja consideração pela Direcção da OCCO permitirá uma maior dinamização do seu projecto.

Todos os Membros do CLUBE são livres na escolha da sua participação, de entre as seguintes opções:

MEMBRO HONORÁRIO
O membro Honorário pode ser uma instituicao pública ou privada ou um cidadão indivídual, que decide apoiar a Instituição através de um donativo, cujo valor anual varia entre 1 000€ e 10 000€.O seu nome constará na lista de patrocinadores da OCCO e receberá um Diploma da instituição e uma declaração de donativo (ao abrigo da Lei do Mecenato).

MEMBRO EFECTIVO
O Membro Efectivo pode ser cada cidadão que decida apoiar a Instituição com um donativo anual entre 50€ e 100€.O seu nome constará na lista do clube dos amigos e receberá um Diploma da instituição e uma declaração de donativo (ao abrigo da Lei do Mecenato).

JOVEM AMIGO
Todos os jovens entre os 16 e os 30 anos que, de forma gratuita e voluntária, mostrem interesse em colaborar com a instituição na promoção e a realização da sua actividade.O seu nome constará na lista do Clube como Jovem Colaborador e receberá um Diploma da instituição.




Fonte: http://www.occo.pt/

Temporada 2009 | Setembro

26 de Setembro de 2009 às 11h00
27 de Setembro de 2009 às 18:00
Conservatório de Música de Cascais

ABERTURA DO ANO LECTIVO

Obras de vários compositores.
Com a participação de professores e alunos do Conservatório de Música de Cascais.
Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras.

sábado, 19 de setembro de 2009

Temporada 2009 | Setembro

20 de Setembro de 2009 às 17:00
Palácio dos Aciprestes

DUO DE PIANO

M. Ravel - Ma Mère L'Oye
M. Ravel - Rapsodie Espangnole
E. Grieg - Danças Norueguesas Op.35
F. Lopes Graça - Melodias Rústicas Portuguesas

Ana Carvalho Marques -piano
Joana Branco Alves - piano

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

MÚSICA NOVA

Sexta-feira, 11 de Setembro às 11h00
Conservatório de Música de Cascais

O Compositor e a sua obra
Conversa sobre música contemporânea com a participação de compositores de vários países.


Sábado, 12 de Setembro às 19h00
M. M. Portuguesa - Casa Verdades Faria

Obras de G. Arnaoudov, S. Azevedo, Bernardo Adam Ferrero e António Pinho Vargas.
Mesa redonda com os compositores convidados e execução das suas obras


Domingo, 13 de Setembro às 18h00
Conservatório de Música de Cascais

Obras de Carlos Marecos, Carlos Caires, Ana Seara, C. Bochmann e Bagio Putignano.
Mesa redonda com os compositores convidados e execução das suas obras.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

The Court of Bayreuth



Miguel Yisrael (Serdoura), o jovem alaudista português radicado em França, de que já demos notícia por altura do lançamento do seu primeiro cd, Les Baricades Mistérieuses, editado pela Brilliants Classics, em 2008, e muito apreciado pela crítica da especialidade, lançou agora um apelo de mecenato para a edição do seu segundo disco, intitulado The Court of Bayreuth, dedicado à música barroca alemã da segunda metade do século XVIII, com composições de Hagen, Falckenhagen e Schidler.




http://www.miguelyisrael.com


Helena Rodrigues

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Temporada 2009 | Setembro

Sábado, 5 de Setembro às 22h30
Palácio do Marquês de Pombal

Domingo, 6 de Setembro às 19h30
Centro Cultural de Cascais - Auditório


CONCERTO ESTIVAL

Ch. W. Gluck - Sinfonia em Fá Maior
J. Haydn -Concerto para trompa N.º 1 em Ré Maior
J. Haydn - Sinfonia N.º 45 em Fá sustenido menor "A Despedida

Maestro Nikolay Lalov - Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras
Tiago Leal - trompa

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Solistas | Rui Lopes | Fagote

“O Solo de Fagote no início da Sagração da Primavera foi executado de uma forma excelente pelo novo Fagote Solista da Ópera Nacional Finlandesa, o português Rui Lopes, sempre muito expressivo e com um som lindíssimo” (Helsingin Sanomat, o mais importante jornal finlandês).

Apesar de ter iniciado os seus estudos de Fagote apenas aos 18 anos, rapidamente o seu forte temperamento musical e o seu virtuosismo foram reconhecidos pela crítica. Tocou Primeiro Fagote em Orquestras como a Orchestre de Paris, Camerata Bern, Zürcher Kammerorchester, Kammerorchester Basel, Ensemble Modern Orchestra, e é também convidado regularmente por outras como Collegium Novum Zürich, Deutsches Kammerphilharmonie, Helsinki Philharmonic Orchestra, Sinfonieorchester Basel, trabalhando com personalidades como Matti Salminen, Karita Matila, Leo Nucci, Maurizio Polini, Winton Marsalis, Cristoph Eschenbach, Donald Runicles, Kurt Sanderling, Jorma Panula, Mikko Frank, Jiri Belohlavek, Sakari Oramo, Esa-Pekka Salonen e Pierre Boulez.

Natural de Santa Maria da Feira, iniciou os seus estudos musicais na Academia de Música de Santa Maria, onde terminou o Curso Complementar em Piano. Obteve a Licenciatura em Fagote na Escola Superior de Música do Porto, com o Professor Hugues Kesteman, e concluiu os Diplomas de Solista e de Orquestra, ambos com nota máxima e distinção, na Musik-Akademie der Stadt Basel (Suíça), na classe do fagotista Sergio Azzolini, como bolseiro do Ministério da Cultura e da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira. Nos últimos dois anos estudou com Marco Postinghel no Richard-Strauss-Konservatorium, em Munique. Tendo estudado Música Antiga (em instrumentos da época) com Marc Vallon e Música Contemporânea com Pascal Gallois e Pierre Boulez, o seu repertório estende-se do período barroco até aos nossos dias, colaborando com grupos de Música Antiga, como Capriccio Basel, mas também com outros especializados em Música Contemporânea, como Ensemble Modern.
Participou em Festivais de Música como os de Schleswig-Holstein, Alemanha; Bohuslav Martinu, República Checa; Crusell, Finlândia; e Davos e Lucerna, Suíça. Além de vencedor do Concurso de Interpretação do Estoril, foi também premiado nos concursos “Basler Orchester Gemeinschaft”, Basileia e “Rahn”, Zurique. Gravou um CD a solo para a DRS2, Rádio Clássica Suíça, e apresentou-se como solista com a Orq. de Câmara da Musik-Akademie der Stadt Basel, a Orq. do Algarve, a Orq. Filarmonia das Beiras, a Orq. Musikverein Interlaken, a Orq. Sinfónica de Zurique, a Orq. Sinfónica de Basel e a Orq. da Ópera Nacional Finlandesa, entre outras. Foi Primeiro Fagote Solo da Ópera Nacional Finlandesa (2002-2004) e posteriormente Fagote Solista do Ensemble Nacional Espanhol de Música Contemporânea em Madrid (2005/2006). Desde 2006, lecciona Fagote e Música de Câmara na Universidade de Aveiro. É membro do Trio Almaviva, do Ensemble de Sopros de Lucerna e do Ensemble Laboratorium (grupo apadrinhado por Pierre Boulez). Tem agendados concertos a solo com, entre outras, a Orquestra do Algarve, a Filarmonia das Beiras, a Orq. Sinfónica Portuguesa, a Orq. Collegium Musicum Basel e a Orq. de Câmara do Kremlin.



Fonte: http://www.orchestra-cascais-oeiras.com/solistas2009.html

Temporada 2009 | Julho

Sábado, 18 de Julho às 21h30
Palácio Marquês de Pombal

CONCERTO DE VERÃO
C. M. von Weber: Abertura "Franco Atirador"
C. M. von Weber: Concerto para fagote e orquestra em Fá Maior Op. 75
G. Bizet: Sinfonia em Dó

Maestro Nikolay Lalov
Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras

Rui Lopes - fagote


Domingo, 19 de Julho às 17h00
Palácio dos Aciprestes

TARDE MUSICAL
Peças de J. Brahms, M. Tedesco, R. Palmar, A. Seara entre outros.

Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Encontro Nova Música 2009

11, 12 e 13 de Setembro, no Conservatório de Música de Cascais


A finalidade da composição passa por fixar no papel e posteriormente oferecer ao público ideias musicais. Com o passar dos tempos, as estéticas e os estilos vão-se alterando, assim como, e em consequência directa, os termos e os conceitos mudam, aos poucos, os seus contornos. Todo o fenómeno musical está sujeito a mudanças no tempo…e carece delas. Mas será que as mudanças durante o século XX foram de tal ordem que subverteram e anularam o verdadeiro sentido da música, da interacção entre compositor, intérprete e público? E porquê? Será que a arquitectura inerente a uma peça “contemporânea” é mais importante do que o resultado sonoro final da mesma? O compositor será assim tão egoísta, ao ponto de pensar que a opinião do público não lhe interessa? Ou é o público que é demasiado inculto? São as motivações e expectativas do compositor, do intérprete e do público face a uma determinada obra musical e os efectivos resultados musicais e sociais da performance dela que se discutirá sob o ponto de vista de cada um dos compositores convidados.

Depois do Simpósio de Música Ibérica, realizado em 2008, este ano abrimos as portas a compositores de vários países e gerações para um intercâmbio de ideais e encontros musicais.
O Encontro Nova Música 2009 tem como objectivo dar a conhecer as últimas tendências da composição em Portugal e na Europa, além de criar a oportunidade de contactos e encontros entre compositores. Nesta edição teremos a execução/estreia de obras nacionais e estrangeiras e um workshop de composição para jovens compositores. Num ambiente agradável, os compositores Chistopher Bochmann, António PinhoVargas, Carlos Caires, Carlos Marecos e Sérgio Azevedo (Portugal), Biagio Putignano (Itália), Bernardo Adam Ferrero (Espanha) e Gheorghi Arnaoudov (Bulgária) vão trocar ideais e tentar apontar os novos caminhos para a criação musical do século XXI.
Um programa interessante de 7 conferências, 1 workshop e 2 concertos preenchem estes 3 dias, abrindo o segundo ano do Conservatório de Música de Cascais.

O Conservatório de Cascais


Contactos
ASSOCIAÇÃO OCCO
Av. das Acácias, 81
2765-390 Monte Estoril
Tel.: 21 464 34 60/1
Email: o.c.c.o@mail.telepac.pt


Inscrições abertas até ao dia 31 de Julho!

domingo, 5 de julho de 2009

6 estreias absolutas de jovens compositores portugueses

6 de Julho de 2009, 2ªF, Igreja do Loreto, Lisboa (ao Chiado) 21:30

Auto-Glosa (2009) estreia absoluta
João Manuel de Barros (n.1981)

Branco em branco (2009) estreia absoluta
Sofia Sousa Rocha (n. 1986)

Dorme, que a vida é nada! (2009) estreia absoluta
Tiago Derriça (n. 1986)

Requiem por mim (2009) estreia absoluta
João Nascimento (n. 1957)

I N T E R V A L O

Ciclo para coro (2009) estreia absoluta
Miguel Teixeira (n. 1987)
1. Tristis est anima mea
2. Stabat mater
3. Gloria

Credos (2008) estreia absoluta
Ana Seara (n. 1985)

Salmo CL (2000)
Eurico Carrapatoso (n. 1962)
1. Alleluia (i)
2. Saltério
3. Alleluia (ii)

Coro Ricercare
Direcção: Pedro Teixeira
Sinfonietta de Lisboa
Direcção: Vasco Pearce de Azevedo

O mesmo concerto terá lugar também nos dias
7 de Julho, 3ªF, Igreja dos Pastorinhos, Alverca
8 de Julho, 4ªF, Igreja de S. Jorge dos Ingleses, Lisboa (à Estrela)
21:30
Entrada livre


enviado por Ana Seara

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Temporada 2009 | Julho

Sábado, 4 de Julho às 21h30
Igreja da Cartuxa


Domingo, 5 de Julho às 18h30
Centro Cultural de Cascais - Auditório

GRANDES OBRAS DE MÚSICA DE CÂMARA

J. Haydn: Quarteto em Ré Maior N.º 4 Op. 20
J. Brahms: Sexteto N.º 1 Op.18

Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras

sábado, 27 de junho de 2009

Temporada 2009 | Junho

Domingo, 28 de Junho às 18h00
Conservatório de Música de Cascais

CONCERTO FINAL DE ANO DO CONSERVATÓRIO

Obras de várias compositores
Com a participação dealunos do Conservatório de Música de Cascais

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Temporada 2009 | Junho

Domingo, 21 de Junho às 17h00
Palácio dos Aciprestes


GRANDES MESTRES DA MÚSICA DE CÂMARA

W. A. Mozart: Quarteto para piano em Mi bemol Maior K493G.
G. Mahler: Quarteto para piano e cordas em Lá menor

Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras
Corrado Greco - piano

Temporada 2009 | Junho

Sábado, 13 de Junho às 18h00
M. M. Portuguesa - Casa Verdades Faria

A LITERATURA E A MÚSICA
B. Britten: "Seis Metamorfoses sobre Ovídio"
S. Azevedo: "Duas Miniaturas para Karel Chapek"
S. Azevedo: "Suite de Hasék"
Luciano Berio: "Opus Number Zoo"

Direcção Artística e Comentários: Sérgio Azevedo
Quinteto de Sopros Giv'Me Five Ensemble da ESML
Colaboração com a Escola Superior de Música de Lisboa

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Audições para Quinteto de Sopros

AUDIÇÕES

A Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras vai realizar nos dias
15 e 16 de Julho de 2009
audições para:

Quinteto de Sopros
Estágios para Flauta / Oboé / Clarinete / Fagote / Trompa
Os músicos farão parte do corpo docente do Conservatório de Música de Cascais .

Deverão ser executados:
1º andamento de um Concerto Clássico e de um Romântico
e uma peça à escolha do Candidato.
Leitura à primeira vista.

Todos os interessados que possuem habilitações é favor enviar CV para o email: o.c.c.o@mail.telepac.pt ou via fax para 21 467 31 02.
Informações através dos nossos contactos:
21 464 34 61 * 96 481 78 52 * 91 259 57 19

A Direcção da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras


Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras
Av. das Acácias, 81 - 2765-390 Monte Estoril - Portugal
Tel.: +351 21 464 3461 - Fax: +351 21 467 3102
Telemóvel: +351 96 481 7852 / +351 91 259 5719

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Temporada 2009 | Junho

Sábado, 6 de Junho às 18h00
Auditório Municipal Ruy de Carvalho


Domingo, 7 de Junho às 18h30
Centro Cultural de Cascais - Auditório

SINFONIA PRAGA
Rui Soares da Costa: "Homenagem" para orquestra de cordas
G. Rossini: "Introdução, Tema e Variações" em Mi bemol Maior
G. Donizetti: Concertino para clarinete em Si bemol Maior
W. A. Mozart: Sinfonia N.º 38 em Ré Maior K504 "Praga"

Maestro Roberto Gianola
Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras
Nuno Pinto - clarinete

terça-feira, 26 de maio de 2009

Temporada 2009 | Maio

Quarta-feira, 27 de Maio às 21h30
Teatro Municipal Amélia Rey Colaço


MINIATURA MUSICAL
Obras de P. Sarassate, P. Stainov, P. I. Tchaikovsky, J. Brahms, entre outros

Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras

quarta-feira, 20 de maio de 2009

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Ivaila Ivanova | R. Schumann: Variações sobre um tema de Clara Wieck

Solistas | Ivaila Ivanova | Piano

A pianista Ivaila Ivanova nasceu em Sofia, Bulgária. Ela começou os seus estudos musicais no acordeão, aos cinco anos com o professor Georgi Gulubov. Entre 1991 e 1993, participou em várias competições a nível nacional e internacional, tendo ganho inúmeros prémios devido ao seu estilo próprio a tocar acordeão.
Em 1993, ela iniciou aulas de piano com a professora Antoaneta Arsova. Em 1995, entrou na Escola Nacional de Música "Lyubomir Pipkov", em Sófia.
Em 1996, participou no Festival Internacional de Música de Dobrich, Bulgária, onde foi galardoada. Entre 1999 e 2002, estudou piano com o Prof. Stefka Matanova.
Em 2000, ganhou o 1º Prémio na Competição Nacional de Piano, na Bulgária e foi convidada para participar num concerto comemorativo dos 50 anos das Nações Unidas.
Em 2002, participou no Festival Internacional de Música Contemporânea de Piano, que foi transmitido pela Rádio Nacional Búlgara e pelo canal de televisão, e no Festival Nacional de Música Nova Búlgaro. No mesmo ano, ela foi aceite como estudante na Academia Nacional de Música “Pancho Vladigerov”, em Sofia, onde teve aulas com a professora Stela Dimitrova.
Em 2004, recebeu uma bolsa para a Academia de Música Europeia em Baden, Áustria.
Ivaila Ivanova participou em master classes com o Professor Catherine Vikers (Alemanha), o professor Martin Hughes (Áustria), o professor Noel Flores (Áustria), professora Tamara Podubnaya (Rússia), Professora Jenny Zaharieva (Bulgária), Maria Prinz (Áustria), Boris Romanov (Rússia), Tomislav Baynov (Alemanha), Fulvio Turissini (Itália) e Svetozar Ivanov (E.U.A.).
Em Novembro de 2005, foi convidada pela Fundação "Jovens Talentos da Música" para dar um concerto de piano na Bulgária Hall, como parte do projecto Memória Nacional.
Em Março de 2006, apresentou-se com a Orquestra Nacional da Bulgária sob a direcção de Nikos Tzouklos (Grécia). Em Junho de 2006, ela terminou a sua licenciatura e iniciou o seu mestrado com os professores Atanas Kourtev e Margarita Krusteva.
Em Março de 2007, foi convidada para dar três concertos a solo em diferentes cidades da França. O seu repertório incluiu Variações de Clara Wieck's, Variações de Robert Schumann e Fantasia de Schumann em Dó Maior Op. 17 e Estudos Sinfónicos, Op. 13. Em Maio, ganhou o 2º lugar no Concurso Nacional de Música de Câmara. Foi convidada para participar em diversos concertos, com diversas orquestras.
Em Março de 2008, foi convidada a participar como um duo com Andrei Angelov num concerto para a Rádio Nacional Búlgara. Em maio, foi organizada uma performance multimédia que incluiu Ivanova ao piano tocando "Imagens de uma Exposição", de Mussorgsky acompanhada por uma projecção de slides de pinturas que inspiraram a música da Mussorgsky.

Temporada 2009 | Maio

Domingo, 24 de Maio às 18h00
Conservatório de Música de Cascais

JOVENS SOLISTAS
J. Haydn: Sonata para piano em Mi bemol Maior
R. Schumann: Variações sobre um tema de Clara Wieck
Y. Dimitrov: "Espaço pianístico"
M. Mussorgsky: "Quadros de uma Exposição"


Ivaila Ivanova - piano

Solistas | Giv’Me Five Ensemble | Quinteto de Sopros

O Giv'MiFive Ensemble formou-se no âmbito da disciplina de música de câmara na ESML. Em 2007 criou-se um trio de madeiras orientado pelo professor Luis Correia, e desse trio inicial surgiu a ideia de formar um quinteto, formação que possui muito mais repertório. Assim, resolvemos criar em 2008 o Giv'MiFive Ensemble, grupo que tem sido orientado pelo professor Nuno Inácio, e no âmbito do qual temos trabalhado particularmente repertório dos séculos xx e xxi, no qual procuramos incluir obras de autores portugueses significativos, como Sérgio Azevedo ou Fernando Lopes-Graça.




Fonte: http://www.orchestra-cascais-oeiras.com/solistas2009.html

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Temporada 2009 | Maio

Sábado, 16 de Maio às 21h30
Fábrica da Pólvora de Barcarena

Domingo, 17 de Maio às 17h00
Palácio dos Aciprestes


A LITERATURA E A MÚSICA
B. Britten: "Seis Metamorfoses sobre Ovídio"
S. Azevedo: "Duas Miniaturas para Karel Chapek"
S. Azevedo: "Suite de Hasék"
Luciano Berio: "Opus Number Zoo"

Direcção Artística e Comentários: Sérgio Azevedo
Quinteto de Sopros Giv'Me Five Ensemble da ESML
Colaboração com a Escola Superior de Música de Lisboa

sábado, 9 de maio de 2009

Murray Perahia | J. S. Bach: Suite Inglesa N.º 3 em Sol menor

Solistas | Rada Pogodaeva | Piano

Rada Pogodaeva nasceu em 21 de Novembro de 1982, em Karaganda, no Cazaquistão.
Iniciou os seus estudos musicais em piano aos cinco anos, na Escola Especial de Música em Karaganda. Anos mais tarde, ingressou no Colégio de Artes, com o prof. Oleg Plitzin e mais tarde completou seus estudos no Conservatório Nacional, em Almaty, Cazaquistão, com o prof. Ghania Aubakirova.

Em 2004, mudou-se para a Alemanha, onde continuou seus estudos com o prof. Christian Beldi, na Escola Superior Robert Schumann, em Düsseldorf. Ela tem realizado recitais no Alemanha, Itália, Grécia e Cazaquistão, onde tem ganho inúmeros prémios.

Temporada 2009 | Maio

Sábado, 9 de Maio às 18h00
M. M. Portuguesa - Casa Verdades Faria

JOVENS SOLISTAS
L. V. Beethoven: Sonata para piano Op. 57 em Fá menor "Apassionata"
Fr. Schubert - Fr. Liszt: Schuberts Songs
P. I. Tchaikovsky: The Seasons
J. S. Bach: Suite Inglesa N.º 3 em Sol menor
I. Stravinsky: Três Danças de "Petrouchka"

Rada Pogodaeva - piano


Domingo, 10 de Maio às 11h00
Auditório Municipal Maestro César Batalha

QUADROS DE UMA EXPOSIÇÃO
Uma história fantástica, com música e teatro os miúdos e graúdos

Direcção Artística e Comentários: Maestro Nikolay Lalov
Quinteto de Sopros da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Um concerto diferente...

Eu acho que o concerto de sábado passado (2 de Maio), no Auditório Ruy de Carvalho, foi muito interessante, pois a música contemporânea é um estilo de música completamente diferente da música clássica. Gostei muito pois a própria música cria um certo ambiente...e também porque foi das primeiras vezes que eu ouvi música contemporânea.
O facto de podermos ver e ouvir instrumentos diferentes e pouco vulgares, é algo também que me agrada bastante, e me deixa curiosa para escutar novos sons neste tipo de composição musical.

Fico a aguardar por mais concertos como este!


Inês Matos
2º Grau B - Formação Musical / Coro
3º Grau de Piano
Conservatório de Música de Cascais

Tua Lágrima em Mim

Levar a concerto música contemporânea, continua a ser um desafio para qualquer programador de música. Ainda que as coisas tenham mudado um pouco, juntar uma obra recente com compositores de tradição, é ainda mais desafiador.Encontro-me, neste momento, muito consciente do que faço e do que quero ouvir, mas não estou à espera de grandes massas de admiradores. O compositor contemporâneo não vive disso; vive sim, da sua necessidade física e mental de escrever música, de se expressar musicalmente. Cabe, então, aos programadores, aos compositores e, sobretudo, aos intérpretes educarem o público a ouvir a música dos seus tempos! Pois, como dizia uma aluna minha, "é tudo uma questão de percepção"... Há que ouvir para se entender, há que colocar questões e ler sobre as várias estéticas dos séculos XX e XXI para, passo a passo, se aproximarem da música dos seus contemporâneos. Tudo tem uma evolução lógica e natural, nós apenas continuamos agarrados ao mito Beethoveniano criado pelos Românticos. Já viram? Continuamos presos ao século XIX, mas já não passamos sem o nosso telemóvel... Ouçam, vivam a música e critiquem... Explorem um mundo de outras sonoridades e encontrarão um discurso musical tão ou mais coerente que a música Romântica!...Fiquei contente! A orquestra e o Maestro respeitaram, entenderam e gostaram da minha obra... escrita a pedido deles e para eles!... Agradeço-lhes tudo isso, assim como o bom ambiente e seriedade dos ensaios. É a primeira de muitas com eles, não foi o que ouvimos? Espero por todos nas próximas oportunidades!
Tua Lágrima em Mim é dedicada aos meus pais que, neste ano de 2009 tão cheio de comemorações, comemoram, também eles, uma data especial - fazem bodas de prata. É a lágrima deles reflectida em mim que me faz ser quem sou... Uma obra serena, onde impera o Timbre e a Cor... São ambientes diferentes criados a partir de um material musical comum... É o meu código genético apresentado em várias situações da minha vida..."


Ana Seara

terça-feira, 5 de maio de 2009

Haydn nas cordas do Seraphina String Quartet

Continuando com Haydn, a quem é dada a paternidade do quarteto de cordas e passados 200 anos sobre o seu desaparecimento, nada melhor que a apresentação da muito jovem (16-18 anos) formação de cordas de Philadelphia, o Seraphina String Quartet, constituído pelas irmãs Caeli e Madeline Smith, e Sabrina e Genevieve Tabby, numa interpretação do 1º movimento do quarteto nº 2, em ré menor, op. 76.

domingo, 3 de maio de 2009

Música ao entardecer...em Cascais

Com sala cheia - mais do que cheia, na verdade, pois os degraus tiveram de servir de assento a uns tantos que teimaram em assistir ao concerto - a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras fez acontecer música de qualidade, no espaço exíguo do Centro Cultural de Cascais, neste fim de tarde quente e luminoso. Bem a propósito, nas palavras breves - e meritoriamente pedagógicas - de introdução à música que se ia ouvir, o Maestro Nikolay Lalov confidenciou o seu sonho de ver construído um auditório digno das justas aspirações da orquestra que dirige. E digno também, digo eu, de um concelho cosmopolita onde a oferta musical se tem de constituir ao nível das programações que, por agora, só em Lisboa e talvez no Porto se encontram. Uma sala de concertos para Cascais, pois! Merecem-na os muitos melómanos do concelho e merece-a, sem dúvida, a OCCO que hoje ouvimos com deleite na HOMENAGEM A HAYDN E MENDELSSOHN. A abrir, uma peça da jovem compositora Ana Seara, "Tua Lágrima em mim", uma incursão no universo a que me apetece chamar dos "sons desorganizados", uma experiência auditiva interessante, especialmente em antecâmara à obra em que o chamado Príncipe do Violino, inovou sem, contudo, perder de vista a forma tradicional. No Concerto para violino em Mi menor Op. 64, de Felix Mendelssohn, a jovem solista Lilia Donkova dialogou com a orquestra numa interpretação expressiva que lhe valeu o aplauso vivo do público. Sob a batuta de Nikolay Lalov, a OCCO viajou, na segunda parte do concerto, pela Sinfonia nº 86 de Haydn, deixando-nos perceber por que é este compositor considerado o pai da sinfonia clássica.
Um belo concerto! Um belo fim de tarde musical em Cascais!


Helena Rodrigues

terça-feira, 28 de abril de 2009

Temporada 2009 | Maio

Sábado, 2 de Maio às 18h00
Auditório Municipal Ruy de Carvalho

Domingo, 3 de Maio às 18h30
Centro Cultural de Cascais - Auditório

HOMENAGEM A HAYDN E MENDELSSOHN
Ana Seara: Peça a anunciar (encomenda da OCCO)
F. Mendelssohn: Concerto para violino em Mi menor Op. 64
J. Haydn: Sinfonia N.º 86 "O Milagre"

Maestro Nikolay Lalov
Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras
Lilia Donkova - violino

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Temporada 2009 | Abril

Sábado, 25 de Abril 21h30
Auditório do Colégio dos Maristas

HOMENAGEM A JOSÉ AFONSO
Obras de José Afonso
Maestro Nikolay Lalov
Coros do Concelho de Cascais
Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras


Domingo, 26 de Abril às 18h00
Conservatório de Música de Cascais

QUADROS DE UMA EXPOSIÇÃO
Uma história fantástica, com música e teatro os miúdos e graúdosCONCERTO DIDÁCTICO para PAIS e FILHOS
Direcção Artística e Comentários: Maestro Nikolay Lalov
Quinteto de Sopros da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras

terça-feira, 14 de abril de 2009

Temporada 2009 | Abril

Sábado, 18 de Abril às 18h00
Instituto Espanhol no Dafundo

LA PETITE SUITE
G. Rossini: Abertura "O Barbeiro de Sevilha" arr. para quinteto de sopros
G. Fauré: "Dolly Suite"
G. Bizet: "Jeux d'enfants" Op. 22 (arr. Davies)

Quinteto de Sopros da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras


Domingo, 19 de Abril às 17h00
Palácio dos Aciprestes

PERCUSSION CONCERT
Obras de M. Schmitt, G. Stout, A. Piazzola, L. Albert e C. Corea

Aldovino Munguambe - percussão
Vasco Ramalho - percussão

Temporada 2009 | Abril

Sexta-feira, 17 de Abril às 21h30
Capela do Palácio Marquês de Pombal

BARROCO ITALIANO II
T. Vitalli: "Chaconne" para violino e cordas (arr. O. Respighi)
G. Torelli: Concerto em Ré menor Op. 6 N.º 10 para cordas
Fr. Veracini: "Largo"
G. Tartini: Sinfonia em Lá para cordas

Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras

terça-feira, 7 de abril de 2009

Solistas | Vasco Ramalho | Percussão

Vasco Ramalho nasceu em Reguengos de Monsaraz em 1982 e começou os estudos de percussão com 12 anos na Escola Profissional de Música de Évora, onde concluiu o curso secundário com elevada classificação.

Em 2000, ingressou na Universidade de Évora, licenciando-se em percussão no ano de 2005 na classe do Prof. Eduardo Lopes.Participou como percussionista na Orquestra Portuguesa das Escolas de Música em 1998 e 1999 e nas Jornadas de Nova Música de Aveiro no mesmo ano.

No verão de 2003 participou no “Zeltsman Marimba Festival” de Aplleton (E.U.A).

É professor de percussão na Escola de Música de Évora e na Academia de Música Eborense.

Nos últimos dois anos tem-se apresentando em recitais a solo e como “freelancer” nos mais variados agrupamentos musicais.

Solistas | Aldovino Munguambe | Percussão

Natural de Moçambique, onde nasceu em 1980, Aldovino Munguambe iniciou os seus estudos musicais aos 10 anos, na classe de piano da Escola Nacional de Música de Maputo.

Em 1994 obteve uma bolsa para prosseguir os seus estudos em Portugal, ingressando no curso de percussão da Escola Profissional de Música de Évora. Integrou a Orquestra Portuguesa das Escolas de Música em 1997 e 1999 e as Jornadas de Nova Música de Aveiro em 1999 e 2000, sendo o primeiro vencedor do prémio de interpretação de nova música. Participou também no curso de percussão e bateria leccionado por Jamey Haddad e Eduardo Lopes e no “Zeltsman Marimba Festival” que decorreu em Aplleton (E.U.A.), onde trabalhou com Nancy Zeltsman, Jack Vam Geem, Ricardo Gallardo, entre outros.

Terminou a Licenciatura em Música da Universidade de Évora e participou como músico convidado no musical Navios Rebeldes, no Teatro da Trindade em Lisboa.

Actualmente é professor no Conservatório de Música de Cascais.




Fonte: http://www.orchestra-cascais-oeiras.com/solistas2009.html

Temporada 2009 | Abril

Sábado, 11 de Abril às 18h00
M. M. Portuguesa - Casa Verdades Faria

PERCUSSION CONCERT
Obras de M. Schmitt, G. Stout, A. Piazzola, L. Albert e C. Corea

Aldovino Munguambe - percussão
Vasco Ramalho - percussão

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Solistas | Diogo Oliveira | Barítono

Nascido em Lisboa, é Licenciado em Engenharia da Linguagem e do Conhecimento pelas Faculdades de Ciências e de Letras da Universidade de Lisboa.

Frequentou o curso de Canto da Escola de Música do Conservatório Nacional na classe de José Carlos Xavier. Realizou concertos no Salão Nobre do Teatro Nacional de São Carlos, Museu da Música, Palácio Foz, Culturgest, Centro Cultural de Belém, Zénith de l'Agglo de Rouen, entre outros. Participou em Master Classes de canto e interpretação com Sarah Walker, Rudolph Knoll e Low Siew-Tuan (2003 – 2005).

Em recital apresentou com Nuno Vieira de Almeida, no Teatro São Luís, os ciclos: Schwannengesang de Schubert e Sea Pictures de Elgar e no Teatro Nacional de São Carlos, recital com obras de compositores portugueses, com João Paulo Santos. Desempenhou o papel de Phantom na produção alemã da opereta Das Phantom der Oper (O Fantasma da Ópera) em digressão pela Alemanha, com a qual actuou em mais de 120 salas de espectáculo, de entre as quais se destaca a München Filarmonie.

Em 2005 foi vencedor do primeiro prémio do Concurso Nacional de Canto Luísa Todi.

Estreou-se no papel de Marullo (Rigoletto) sob a direcção de Manuel Ivo Cruz. Interpretou Conde de Fricandó (As Damas Trocadas), sob a direcção de Armando Vidal, Masetto (Don Giovanni), Figaro (Le nozze di Figaro) sob a direcção de José Ferreira Lobo, Papageno (Die Zauberflöte) em diversas salas e sob várias direcções e Gil (Il Segreto di Susanna) sob a direcção de Kodo Yamagishi.

No Teatro Nacional de São Carlos interpretou Montano (Otello), sob a direcção de Antonio Pirolli, Fiorello (Il Barbiere di Siviglia), sob a direcção de Jonathan Webb, Lacaio, Oitavo Polícia, Primeiro Criado, Sexto Camarada e Sexto Estudante (O Nariz), sob a direcção de Donato Renzetti e João Paulo Santos.

No verão de 2007 cantou nos Açores como intérprete do papel de Belcore (L’Elisir d’amore) no Teatro Micaelense (produção do TNSC com a direcção de Cesário Costa) e o papel de Papageno (Die Zauberflöte), no Teatro Coliseu de São Miguel. Recentemente desempenhou o papel de Ceprano (Rigoletto), Wilhelm (Os Contos de Hoffmann) e Wagner (Faust) no Teatro Nacional de São Carlos, dirigidos respectivamente por Alexander Polianitchko e Gregor Bühl e Enricoo de Lamboye.
Na Fundação Calouste Gulbenkian, estreou o papel de Zaretski (Eugene Onegin) e Guardião de Orestes e O velho criado (Elektra),ambos sob a direcção de Lawrence Foster.

Temporada 2009 | Abril

Sexta-feira, 3 de Abril às 21h30
Auditório do Centro Social de Nova Oeiras

Domingo, 5 de Abril às 18h00
Igreja Salesianos do Estoril

CONCERTO DE PÁSCOA
H. Purcell: Ária e Rondo (arr. Rowley)
J. Haydn: Árias da Oratória "A Criação"
G. Fr. Händel: "Water Musik"

Maestro Nikolay Lalov
Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras
Diogo Oliveira - barítono

quinta-feira, 19 de março de 2009

Temporada 2009 | Março

Sexta-feira, 20 de Março às 21h30
Capela do Senhor Jesus dos Navegantes

BARROCO ITALIANO I
P. Locateli: Quatro Sonatas para dois violinos e baixo contínuo Op. 8
A. Vivaldi: Sonata para dois violinos e baixo contínuo Op. 1 N.º 4 em Mi Maior
A. Corelli: Sonata para dois violinos e baixo contínuo Op. 3 N.º 10

Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras


Domingo, 22 de Março às 11h00
Auditório Municipal Maestro César Batalha

A MÚSICA FAZ-NOS MELHOR!
Obras de W. A. Mozart, J. Swendsen, P. I. Tchaikovski, S. Lalova, entre outros.
ONCERTO DIDÁCTICO para PAIS e FILHOS

Direcção Artística e Comentários: Maestro Nikolay Lalov
Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras

quarta-feira, 11 de março de 2009

Solistas | Michael Rische | Piano

Nasceu em Leverkusen e estudou em Düsseldorf com Max Martin Stein (piano) e Milko Kelemen (composição) e, mais tarde, com Rudolf Buchbinder, em Viena. Desde 1970, apresentou-se regularmente em salas de renome, tanto na Alemanha como no estrangeiro. Trabalhou com vários maestros como Sylvain Cambreling, Gerd Albrecht, Yuri Simonov, Michael Boder e Grant Llewellyn. Tocou com a Berlin Staatskapelle, a Orchestre National de Belgique, a Deutsches Symphonie-Orchester Berlin e a BBC Symphony Orchestra, em Londres.

As suas gravações trouxeram-lhe uma reputação internacional e as suas interpretações de Bach, Beethoven, Debussy e Ravel têm sido consideradas de uma enorme qualidade: "Só tenho a louvar a sua interpretação de Beethoven. De Rische, tanto como foi de Schnabel, a sonata tem um desempenho poderoso e bem organizado, que não diminui, em nada, as qualidades ou excentricidades da mesma. É um excelente instrumentista…" - Fanfare.

Especialmente, desde a sua descoberta dos concertos para piano de Erwin Schulhoff e de George Antheil (estreia a 5/March/2001 em Londres), Michael Rische é visto como um forte defensor da música do Séc. XX que combina clássica com jazz.

Michael Rische ensina piano na Academia de Música de Colónia em Aachen, Alemanha.




Fonte: Conservatório de Música de Cascais (Programa do Recital de 12 de Março de 2009)

Temporada 2009 | Março

Sábado, 14 de Março às 18h00
M. M. Portuguesa - Casa Verdades Faria

Domingo, 15 de Março às 17h00
Palácio dos Aciprestes

GRANDES OBRAS DE MÚSICA DE CÂMARA
P. I. Tchaikovski: "Melodia" para violino e piano
J. Suk: "Serenata" para violoncelo e piano
A. Dvorák: "Dumki" Trio para piano e cordas N.º 4


Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras
Grazia di Venere - piano

música ao fim da tarde | 12 Março 2009



Quinta-feira, 12 de Março às 18h00
Conservatório de Música de Cascais

Homenagem a Haydn

I Parte

J. HAYDN (1732 – 1809)
Sonate h-moll Hob. XVI/32

Cl. DEBUSSY (1862 – 1918)
Hommage à Haydn


II Parte

J. HAYDN (1732 – 1809)
Sonate g-moll Hob.XVI/44

M. RAVEL (1875 – 1937)
Menuet sur le nom de Haydn


Michael Rische – piano

terça-feira, 3 de março de 2009

Les Baricades Mistérieuses


Brilliant Classics, Hollande, 2008


Considerado por Hopkinson Smith um músico apaixonado e inteligente, Miguel Serdoura oferece-nos, neste seu trabalho genericamente intitulado Les Baricades Mistérieuses, a sua interpretação de algumas das melhores peças de música barroca tocadas em alaúde. Com trechos de David Kellner e Silvius Leopold Weiss a Jacques de Saint-Luc, Ennemond Gaultier e Jacques Gallot a acompanhar o celebrado rondó de François Couperin, que dá o nome ao cd, Les Baricades Mistérieuses, Miguel Serdoura evoca a marcha circular do tempo, tão ao gosto nostálgico do século XVII, e imprime-lhe o seu cunho artístico pessoal.



Helena Rodrigues

Temporada 2009 | Março

Sábado, 7 de Março às 18h00
Auditório Municipal Ruy de Carvalho

Domingo, 8 de Março às 18h30
Auditório do Colégio Maristas de Carcavelos

CONCERTO DE PRIMAVERA
Yiannis Konstantinidis - "Suite Dodecanesienne" N.º 1
C. Ph. E. Bach - Concerto para piano e orquestra em Ré menor Wq. 23
L. V. Beethoven - Sinfonia em Ré Maior N.º 2 Op. 36

Maestro Myron Michaïlidis
Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras
Michael Rische - piano

A vez dos jovens compositores

"Paisagens Reveladas de João Antunes, Um e Um de Sofia Sousa Rocha, Cubo de Sílvia Mendonça, Arrestare de Nuno Jacinto, Imagens para Orquestra de Vanessa Valério e Concatenação de Diogo Alvim foram as seis partituras seleccionadas de um total de dez obras candidatas ao 7º Workshop da Orquestra Gulbenkian para Jovens Compositores Portugueses.(...)"
ler artigo completo




Fonte: Newsletter 101 da Fundação Calouste Gulbenkian.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Temporada 2009 | Março

Domingo, 1 de Março às 18h00
Conservatório de Música de Cascais

A MÚSICA FAZ-NOS MELHOR!
Obras de W. A. Mozart, J. Swendsen, P. I. Tchaikovski, S. Lalova, entre outros.
CONCERTO DIDÁCTICO para PAIS e FILHOS

Direcção Artística e Comentários: Maestro Nikolay Lalov
Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras

Formação Musical | Ana Seara

Ana Luísa Soares Seara, nasceu em Coimbra em 1985. Iniciou os seus estudos de Ballet com apenas 3 anos, ingressando mais tarde, em 1991, no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga. É diplomada pela Royal Academy of Dance, com o Grau 8.
Frequentou e terminou com distinção o único Curso Complementar de Composição ministrado em Portugal, leccionado pelo Professor Paulo Bastos. No âmbito deste curso, algumas peças suas (incluindo peças electroacústicas) foram estreadas. Como aluna do Conservatório de Braga, participou ainda em várias audições e recitais, assim como em Cursos de Pedagogia Pianística, sendo premiada, por 4 anos consecutivos, no Concurso Regional de Piano realizado anualmente em Braga.
No ano lectivo 2003/2004, ingressa na Escola Superior de Música de Lisboa, no Curso de Composição. Em 2007 concluiu a Licenciatura em Composição da ESML com uma média final de 19 valores. Foi aluna de Professores como António Pinho Vargas, Christopher Bochmann, Carlos Caires, Luís Tinoco, João Madureira, Sérgio Azevedo, Carlos Fernandes, Roberto Peréz, José Luís Ferreira, Vasco Pearce de Azevedo, Benoît Gibson e Nuno Bettencourt Mendes. Como aluna da ESML, esteve na organização do projecto “Peças Frescas” - projecto da ESML, com a coordenação do Professor Luís Tinoco, em pareceria com o S. Luiz Teatro Municipal (Lisboa), que tem como principal objectivo estrear, em concerto, peças compostas pelos alunos da classe de composição. Fez parte da comissão organizadora e na produção do III, IV e V Festival de Música da ESML também realizado no S. Luiz Teatro Municipal de Lisboa. Em Setembro de 2005, uma das suas peças (Resson[ÂNSIAS]…) foi apresentada no Festival Internacional Musica Viva. Com a sua peça Discursos concorreu à primeira edição do Concurso Internacional de Composição da Póvoa de Varzim, obtendo uma Menção Honrosa na categoria de Música de Câmara e em 2007 venceu o 2º prémio da categoria “Música de Orquestra” da 2ª edição deste mesmo concurso com a peça Perpétuité. Ainda em 2007 compôs Opalescências - encomenda da Antena2 (peça obrigatória para oboé, nível superior, do Prémio Jovens Músicos 2007) - e Três Telas de Barcelona – para a ORCHESTRUTOPICA, estreada no auditório da Culturgest Lisboa. Esta última peça foi novamente apresentada pela Orchestrutopica, a convite do compositor António Pinho Vargas, no evento "Música Portuguesa, Hoje" no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, em Julho de 2008.
Foi recentemente premiada no 3º concurso internacional de composição do Festival Internacional de Música da Póvoa de Varzim, nas categorias de música de câmara, com o 2º Prémio e música de orquestra, com o 1º Prémio, com as peças “Poema, Mensagem” e “Le Foncé ciel de la Nuit Glacée”, respectivamente. Participou, também, no II Atelier de Leitura para Jovens Compositores da Orquestra do Algarve com a obra "Mudra" (2008). Esta obra foi seleccionada para fazer parte da temporada 2008/09.
Neste momento, está a trabalhar na sua tese de Mestrado em Composição na Universidade de Évora sob a orientação do Professor Christopher Bochmann e co-orientação do Professor Carlos Caires, assim como na preparação de duas obras em resultado de encomendas feitas pela Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras e pelo Grupo de Música Contemporânea de Lisboa.
Exerce funções de docente no Conservatório de Música de Cascais, assim como é membro da produção e programação da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras.




Fonte: http://www.anaseara.com/

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Temporada 2009 | Fevereiro

Sexta-feira, 13 de Fevereiro às 21h30
Auditório Municipal Maestro César Batalha

Sábado, 14 de Fevereiro às 18h00
M. M. Portuguesa - Casa Verdades Faria

Domingo, 15 de Fevereiro às 17h00
Palácio dos Aciprestes


HOMENAGEM A VILLA-LOBOS E MARTINU
H. Villa-Lobos (50 anos da sua morte)
Quarteto para cordas N.º 4

B. Martinu (50 anos da sua morte)
Quarteto para cordas N.º 6 H312

Quinteto de Sopros da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Solistas | Laura Isaacson | Violoncelo

Laura Isaacson began learning the cello at the age of six. She studied at the Yehudi Menuhin School with Melissa Phelps, the Eastman School of Music with Steven Doane and at the Juilliard School with Harvey Shapiro.
She has participated in numerous music festivals, including the International Musicians Seminar in Prussia Cove and the Verbier Academy in Switzerland, and she has also played for many renowned cellists such as Steven Isserlis, Daniil Shafran and Lynn Harrell.
Laura Isaacson has been a prize-winner in the Heidi Hermans Young Artists Competition, the Kingsville International Competition and the Sorantin Young Artists Competition. During her studies at Eastman she won the coveted performer's certificate for excepional playing. Laura has performed in festivals and concerts in Portugal, England, and the United States. She has played chamber music in the Wigmore Hall, the Fairfield Hall and at the International Menuhin Festival in Gstaad. Recently she has performed in Lisbon at the Aula Magna in a memorial concert for the Portuguese hero Aristides de Sousa Mendes and in the Ciclo Manuelino de Musica in Belem.

Temporada 2009 | Fevereiro

Sábado, 7 de Fevereiro às 18h00
Auditório Municipal Ruy de Carvalho

ANIVERSÁRIO DE HAYDN E MENDELSSOHN
Fr. Schubert - "Abertura" para Cordas em Dó Maior
J. Haydn - Concerto para violoncelo em Dó Maior Hob.VIIb:1
F. Mendelssohn - Sinfonia N.º 8 em Ré Maior para cordas

Maestro Nikolay Lalov
Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras
Laura Isaacson - violoncelo


Domingo, 8 de Fevereiro às 11h00
Auditório Municipal Maestro César Batalha

ONDE ACABAM AS PALAVRAS, COMEÇA A MÚSICA...
CONCERTO DIDÁCTICO para PAIS e FILHOS

Direcção Artística e Comentários: Maestro Nikolay Lalov
Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras


Domingo, 8 de Fevereiro às 18h30
Centro Cultural de Cascais

ANIVERSÁRIO DE HAYDN E MENDELSSOHN
Fr. Schubert - "Abertura" para Cordas em Dó Maior
J. Haydn - Concerto para violoncelo em Dó Maior Hob.VIIb:1
F. Mendelssohn - Sinfonia N.º 8 em Ré Maior para cordas

Maestro Nikolay Lalov
Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras
Laura Isaacson - violoncelo

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Temporada 2009 | Janeiro

Domingo, 25 de Janeiro às 18h00
Conservatório de Música de Cascais

UM INSTRUMENTO MÁGICO
Uma história fantástica com música para miúdos e graúdos
CONCERTO DIDÁCTICO para PAIS e FILHOS

Direcção Artística e Comentários: Maestro Nikolay Lalov
Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Temporada 2009 | Janeiro

Sábado, 17 de Janeiro às 21h30
Auditório da Igreja Paroquial de Queijas


LA PETITE SUITE
G. Rossini - Abertura "O Barbeiro de Sevilha" arr. para quinteto de sopros
G. Fauré - Dolly Suite
G. Bizet -Jeux d'enfants, Op. 22 (arr. Davies)

Quinteto de Sopros da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras


Domingo, 18 de Janeiro às 17h00
Palácio dos Aciprestes

A MÚSICA E A PINTURA
Uma conversa sobre a Música e a sua estreita ligação com as outras Artes
Peças de J. S. Bach, L. V. Beethoven, A. Scriabin, G. Zlatev-Cherkin, entre outros.

Direcção Artística e Comentários: Maestro Nikolay Lalov
Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Compositores | Gioachino Antonio Rossini













Gioachino Antonio Rossini nasceu numa família de músicos em Pesaro, cidade na costa do mar Adriático, na Itália. Seu pai, Giuseppe, era um trompista e inspector de matadouros, e sua mãe, Anna Guidarini, era uma cantora, filha de um padeiro. Os pais de Rossini começaram cedo sua educação musical, e aos seis anos de idade ele já tocava o triângulo na banda de seu pai.
O pai de Rossini simpatizava com a Revolução Francesa, e deu as boas-vindas às tropas de Napoleão quando elas invadiram o norte da Itália. Isto tornou-se um problema quando os austríacos restauraram o antigo regime, em 1796. O pai de Rossini foi preso, e sua mãe o levou a Bolonha, onde ela passou a ganhar a vida como cantora nos diversos teatros da região da Romanha, onde seu pai eventualmente pode juntar-se a eles. Durante todo este tempo, Rossini freqüentemente foi deixado sob os cuidados de sua avó, já idosa, que não podia controlar efetivamente o garoto.
Após o retorno de seu pai, Rossini permaneceu em Bolonha, sob os cuidados de um talhante de porcos, enquanto seu pai tocava a trompa nas orquestras dos mesmos teatros em que Anna cantava. O garoto teve aulas de cravo por três anos com Giuseppe Prinetti, de Novara; este seu professor, que costumava tocar as escalas com apenas dois dedos. Paralelamente à sua profissão musical tinha um emprego como vendedor de bebidas alcóolicas, e uma propensão para adormecer de pé; tais qualidades tornaram-no objecto de ridicularização por parte de seu pupilo.

Aos quatorze anos (idade que ele tinha no ano de 1806), Rossini inscreve-se no liceu musical da cidade e apaixona-se pelas composições de Haydn e Mozart, mostrando grande admiração pelas óperas de Cimarosa. Estuda violoncelo com Cavedagni no Conservatório de Bolonha. Em 1807 é admitido na classe de contraponto do padre Stanislao Mattei. Aprende a tocar violoncelo com facilidade, mas a pedante gravidade de Mattei nas suas opiniões sobre o contraponto só serviu para impulsionar o jovem compositor em direcção a uma escola de composição mais liberal. Sua visão sobre recursos orquestrais não é geralmente atribuída às regras de composição estritas que ele aprendeu com Mattei, mas aos conhecimentos adquiridos independentemente ao seguir as sinfonias e quartetos de Haydn e Mozart. Em Bolonha, ele era conhecido como "il Tedeschino" ( "o alemãozinho") por conta de sua devoção a Mozart.

Através da amigável interposição do Marquês Cavalli, a sua primeira ópera, La cambiale di matrimonio, foi produzida em Veneza quando ele era um jovem de apenas 18 anos. No entanto, dois anos antes, já tinha recebido o prémio no Conservatório de Bolonha para sua cantata Il pianto de Armonia sulla morte de Orfeo. Entre 1810 e 1813, em Bolonha, Roma, Veneza e Milão, Rossini seguiu produzindo óperas de sucesso variável. A memória destas obras foi suplantada pelo enorme sucesso de sua ópera Tancredi.
O libreto foi uma adaptação feita por Gaetano Rossi da tragédia Tancrède de Voltaire. Vestígios de Ferdinando Paër e Giovanni Paisiello estão inegavelmente presentes em alguns fragmentos da música. Contudo, qualquer sentimento crítico por parte do público foi afogado pela apreciação de tais melodias como "Di tanti palpiti ... Mi rivedrai, ti rivedrò", que se tornou tão popular que os italianos cantavam-na em multidões nos tribunais até que o juíz ordenasse que parassem.
Rossini continuou a escrever óperas para Veneza e Milão durante os anos seguintes, mas a sua recepção era fria e, em alguns casos, insatisfatória após o sucesso de Tancredi. Em 1815 retira-se para a sua casa em Bolonha, onde Domenico Barbaia, o empresário do teatro de Nápoles, concluiu um acordo com ele para a tomar a direcção musical do Teatro San Carlo e do Teatro Del Fondo em Nápoles, escrevendo para cada um deles uma ópera por ano. Seu vencimento deveria ser 200 ducados por mês; a este valor juntar-se-ia uma parte dos lucros das mesas de jogo instaladas no ridotto do teatro, que se elevava a cerca de 1000 ducados por ano. Este era um acordo extremamente lucrativo para qualquer músico profissional nessa altura.
Alguns compositores mais velhos, em Nápoles, nomeadamente Zingarelli e Paisiello, estavam inclinados à intriga contra o sucesso do jovem compositor, mas toda essa hostilidade foi fútil face ao entusiasmo com que foi recebida a execução na corte de Elisabetta, regina d'Inghilterra, na qual Isabella Colbran, que posteriormente se tornou a esposa do compositor, desempenhou um papel principal. O libreto da ópera feito por Giovanni Schmidt, foi em muitos aspectos uma antecipação do que seria apresentado ao mundo alguns anos mais tarde, em Kenilworth de Sir Walter Scott. Esta ópera foi a primeira em que Rossini escreveu os ornamentos das árias em vez de deixá-los a cargo dos cantores, e também a primeira em que o recitativo secco foi substituído por um recitativo acompanhado de um quarteto de cordas.

A sua mais famosa ópera foi apresentada em 20 de Fevereiro de 1816, no Teatro Argentina, em Roma. O libreto de Cesare Sterbini, uma versão da polémica peça de Beaumarchais, Le Barbier de Séville, era o mesmo que havia sido utilizado por Giovanni Paisiello no seu próprio Barbiere, uma ópera que tinha beneficiado de popularidade na Europa durante mais de um quarto de século. Mais tarde, Rossini afirmou ter escrito a ópera em apenas doze dias. Foi um estrondoso fracasso quando fez a sua estreia como Almaviva; os admiradores de Paisiello ficaram extremamente indignados, sabotando a produção assobiando e gritando durante todo o primeiro acto. Contudo, pouco tempo depois da segunda apresentação, a ópera tornou-se tão bem sucedida que a fama da ópera de Paisiello foi transferida para a de Rossini, para quem o título O Barbeiro de Sevilha passou como um património inalienável.

Entre 1815 e 1823 Rossini produziu 20 óperas. Destas, Otello foi o clímax da sua reforma da ópera séria, e oferece um sugestivo contraste com o tratamento do mesmo assunto numa altura semelhante de desenvolvimento artístico pelo compositor Giuseppe Verdi. No tempo de Rossini o desfecho trágico foi tão mal recebido pelo público que tornou-se necessário inventar um final feliz para Otello.
As condições de produção em palco em 1817 são ilustradas pela aceitação por Rossini do tema da Cinderela para um libreto apenas na condição de que o elemento sobrenatural fosse omitido. A ópera La Cenerentola foi tão bem sucedida como Il Barbiere. A ausência de uma precaução semelhante na construção de sua Mosè in Egitto levou ao desastre na cena que retrata a passagem dos israelitas através do Mar Vermelho, na qual os defeitos nos mecanismos de palco sempre suscitavam uma gargalhada geral, de tal modo que, após algum tempo, o compositor foi obrigado a introduzir o coro "Dal tuo stellato Soglio" para desviar a atenção da partição das ondas.
Em 1822, quatro anos após a elaboração deste trabalho, Rossini casou com a soprano Isabella Colbran. No mesmo ano, dirigiu a sua Cenerentola em Viena, onde Zelmira também foi apresentado. Após isto, voltou a Bolonha; contudo um convite do príncipe Metternich para ir a Verona e "auxiliar no restabelecimento da harmonia" era muito tentador para ser recusado; ele chegou ao Congresso em tempo útil para a sua abertura em 20 de Outubro de 1822. Aqui fez amizade com Chateaubriand e Dorothea Lieven.
Em 1823, por sugestão do gerente do King's Theatre, em Londres, foi para Inglaterra, sendo muito festejado na sua passagem por Paris. Em Inglaterra, foi agraciado com um generoso acolhimento, que incluiu ser apresentado ao Rei Jorge IV e a recepção de £7000 após uma permanência de cinco meses. Em 1824 tornou-se director do Théâtre italien de Paris em Paris, com um salário de £800 por ano, e quando o acordo chegou ao fim, foi recompensado com o gabinete de Compositor Chefe do Rei e Inspector-Geral da Canção em França, cargo a que foi anexado o mesmo rendimento. Com a idade de 32, Rossini entrou em semi-aposentadoria, com independência financeira.

A produção de seu Guilherme Tell em 1829 marca o final da sua carreira como escritor de óperas. O libreto foi escrito por Étienne Jouy e Hippolyte Bis, e posteriormente revisto por Armand Marrast. A música é notável pela sua liberdade relativamente às convenções descobertas e utilizadas por Rossini nas suas obras anteriores, e marca uma fase de transição na história da ópera. Embora seja uma boa ópera, hoje em dia raramente é ouvida na íntegra, pois a sua versão original tem uma duração superior a quatro horas.
Em 1829 Rossini voltou para Bolonha. Sua mãe tinha morrido em 1827, e ele estava ansioso por estar com seu pai. Diligências com vista ao seu regresso a Paris, com um novo acordo, foram afectadas pela abdicação de Carlos X e pela Revolução de Julho de 1830. Rossini, que considerava o tema de Fausto para uma nova ópera, regressou a Paris em Novembro daquele ano.
Seis movimentos do seu Stabat Mater foram escritos em 1832 e os restantes em 1839, o ano da morte de seu pai. O sucesso desta obra é comparável com os seus sucessos em óperas; mas seu comparativo silêncio durante o período de 1832 até sua morte em 1868 faz sua biografia parecer quase a narrativa de duas vidas - uma vida de rápido triunfo, e a longa vida de reclusão, da qual os biógrafos nos dão imagens na forma de histórias da sagacidade cínica do compositor, as suas especulações na cultura de peixes, a sua máscara de humildade e indiferença.

Sua primeira esposa morreu em 1845, e em 16 de Agosto de 1846, ele casou com Olympe Pélissier, que havia posado para Vernet no seu quadro de Judite e Holofernes. Distúrbios políticos levaram Rossini a abandonar Bolonha, em 1848. Depois de viver durante um tempo em Florença, instalou-se em Paris em 1855, onde sua casa era um centro da sociedade artística. Ele morreu em sua casa de campo em Passy numa sexta-feira, 13 de Novembro de 1868 e foi sepultado no cemitério Père Lachaise, em Paris, França. Em 1887, os seus restos mortais foram transferidos para a Basílica da Santa Cruz, em Florença, onde agora repousam.




quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Temporada 2009 | Janeiro

Sábado, 10 de Janeiro às 18h00
M. M. Portuguesa - Casa Verdades Faria

LA PETITE SUITE
G. Rossini Abertura "O Barbeiro de Sevilha" arr. para quinteto de sopros
G. Fauré "Dolly Suite"
G. Bizet "Jeux d'enfants" Op. 22 (arr. Davies)

Quinteto de Sopros da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras


Domingo, 11 de Janeiro às 11h00
Auditório Municipal Maestro César Batalha

UM INSTRUMENTO MÁGICO
Uma história fantástica com a música para miúdos e graúdos
CONCERTO DIDÁCTICO para PAIS e FILHOS

Direcção Artística e Comentários: Maestro Nikolay Lalov
Solistas da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Solistas | Paulo Ferreira | Tenor

Natural de Santa Maria da Feira, realizou na Academia de Música de Santa Maria, os seus estudos de Violoncelo, Piano e Canto, onde veio a concluir, este último, com a classificação máxima, na classe da Profª Ondina Santos, sempre como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian. Mais tarde prossegue o Curso de Canto na Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo do Porto, na classe do Professor Oliveira Lopes, onde veio a concluir sempre com as classificações máximas. Estudou ainda Interpretação Cénica com a Profª Norma Silvestre e Música Antiga com a Profª Ana Mafalda Castro.
Foi vencedor absoluto do 1º Prémio do II Concurso Internacional de Canto Tomaz Alcaide (Categoria de Concerto) e do 3º Prémio do IV Concurso Nacional de Canto Luísa Todi, entre outros. Tem actuado num vasto número de concertos e recitais em Portugal, Espanha, França, Bélgica e Alemanha, gravando para a RTP, para a RDP – Antena 2 e para a UER. Em Portugal tem colaborado com os palcos mais destacados, nomeadamente Teatro Nacional de São Carlos, Centro Cultural de Belém, Teatro da Trindade, Teatro Nacional de São João, Teatro Rivoli e Coliseu do Porto.
Durante alguns anos cantou como Barítono, onde se estreou na Ópera La Traviata de G. Verdi, a convite do Círculo Portuense de Ópera. Conta já, no seu currículo operático, com papéis principais ou destacados em óperas de Mozart (As Bodas de Fígaro e Cosí Fan Tutte), Bizet (Carmen) e Verdi (La Traviata), sendo de assinalar, ainda, as suas interpretações em óperas de Puccini (Tosca e Turandot), Ravel (L’Enfant et les Sortilèges), Maderna (Satyricon), Sousa Carvalho (L’Amore Industrioso), Schumann (Cenas de Fausto e Manfred), Virgil Thompson (Four Saints in Three Acts), Stravinsky (O Rouxinol) e Pinho Vargas (Os Dias Levantados) – esta última editada em CD pela EMI – Valentim de Carvalho. Já como Tenor, em 2005, interpretou o papel de Monostatos em A Flauta Mágica de Mozart numa co-produção do Circulo Portuense de Ópera e do Coliseu do Porto.
Recentemente, estreou-se como Tenor solista na Oratória “Cristo no Monte das Oliveiras” Op.85 de Beethoven, acompanhado pela Orquestra Nacional do Porto, sob a direcção do Maestro Marc Tardue e interpretando o Tenor da 9ª Sinfonia de Beethoven, com a Orquestra clássica da Madeira dirigida pelo Maestro Rui Massena. Ainda como Barítono interpretou, como solista, obras de referência como: Magnificat e Kantates BWV 58, 61, 110, 147 e 206 (J.S. Bach), Magnificat (C.P.E. Bach), Requiem e Messe KV. 65 (W.A. Mozart), Missa em Fá M (Lobo Mesquita), Te Deum (F.A. Almeida), Adam & Eva (A. Avondano), Requiem (J.D. Bomtempo), Messias (G.F. Haendel), Te Deum (M.A. Charpentier), Fantasie Op. 80 e 9ª Sinfonia (L.V. Beethoven), Requiem ( M. Durufle) Petite Messe Solenelle (G. Rossini), Carmina Burana (C. Orff), entre outras.
Em Lied, estreou, acompanhado pelo pianista Jaime Mota, o ciclo “Sete canções de Albano Martins” de António Pinho Vargas, ciclo já editado em CD pela Strauss, tendo sido alvo das melhores críticas da especialidade. Apresentou-se também em vários recitais, acompanhado pela pianista Helena Marinho.
Com orquestra tem-se apresentado sob a direcção dos maestros Manuel Ivo Cruz, João Paulo Santos, António Saiote, Marc Tardue, Jacques Mercier, Aldo Brizzi, Marko Letonja, Stephen Bull e Jonathan Webb, entre outros. Tem colaborado com as orquestras Sinfónica Portuguesa, Nacional do Porto, Metropolitana de Lisboa, de Câmara de Munique e a Capela Real, entre outras.
Presentemente estuda repertório com o Maestro Marc Tardue e é orientado pela Profª. Palmira Troufa, no Porto e pela Maestra Marinela Melli, em Roma, Itália.


Solistas | Liza Veiga | Soprano





Concerto de Páscoa de 2007 com a OCCO (gravação incompleta)





Biografia em: http://www.meloteca.com/canto-soprano.htm#lizaveiga

Ver também em:
http://lizaliberaveiga.blogspot.com/
http://chiadorecords.com/liza_bio.html